A Matemática das Bicicletas



Cada pedalada de um ciclista corresponde há uma distância equivalente ao comprimento da circunferência da roda dianteira, o que justifica o fato de os primeiros modelos terem uma enorme roda dianteira. Tal mecanismo, além de exigir muito esforço do ciclista, possuía limitações para o aumento de rendimento, uma vez que o raio da roda dianteira não poderia ser maior que o comprimento da perna do ciclista.O mecanismo de transmissão usado hoje em dia para melhorar o rendimento consiste em um conjunto de duas rodas dentadas ,uma delas fixa, com pinhão livre na roda traseira, que giram sob o comando de uma corrente.As rodas possuem número diferentes de dentes, por exemplo, 14 e 42. Como o pedal está acoplado à roda dentada maior, cada volta do pedal (um giro de 42 dentes) implica três voltas da roda dentada menor já que 3.14=42. Como a roda dentada menor é a responsável por transmitir o movimento ao conjunto, podemos dizer que a bicicleta avaliada avançará uma distância igual a três vezes o comprimento da sua roda traseira para cada pedalada completa.O comprimento da circunferência C de raio r (r é a metade do diâmetro) é calculado pela fórmula C=2. pi . r (para pi o valor aproximado 3,14)e sabendo que as rodas de uma bicicleta comum têm aproximadamente 70cm ou 0,70m de diâmetro, cada pedalada implica um deslocamento de 3 vezes o comprimento da circunferência da roda,ou seja,3 . 2 . 3,14 . 0,35=6,59m. Lembrando meus queridos que r é a metade do diâmetro da roda,como a roda tem aproximadamente 0,70m,logo metade é 0,35.
Um abraço meus queridos!!!


Prof.Nivaldo Galvão