Especialistas orientam estudantes na escolha da carreira profissional

Eles têm entre 16 e 18 anos. É agora que devem decidir qual profissão seguir. Confusão faz parte.
Essa feira organizada pela Universidade de São Paulo (USP) mostra os altos e baixos de cada curso e as necessidades da profissão. Mais de 1.500 estudantes visitaram os estandes.
Há, no País, 274 cursos universitários, quase cinco vezes mais do que os 58 cursos que existiam na década de 80.
Antigamente era assim, se gostava de matemática. seria um futuro engenheiro. Redação: jornalista. Hoje, você pode se dar muito bem de química e se tornar um publicitário. Por que não? Algumas perguntas podem ajudar na hora de escolher uma faculdade.
- Você quer trabalhar com crianças, adultos, animais ou natureza?
- Qual o seu talento? Construção civil, tecnologia ou educação?
- Você quer trabalhar em período integral ou meio período?
- Quer ter horário fixo ou flexível?
- O lugar onde você quer trabalhar é uma cidade grande ou pequena?
- Seu objetivo é ganhar dinheiro ou se realizar profissionalmente?
"O trabalho de orientação profissional tem duas partes. Uma parte é o autoconhecimento, em que o estudante teve que pensar a respeito dele mesmo, e uma segunda etapa, que a gente apresenta as possibilidades. A partir daí, vai começar uma parte de busca de informação profissional o mais atualizada possível”, explica Maria da Conceição Uvaldo, coordenadora do Instituto de Psicologia da USP.

Um núcleo de orientação vocacional desenvolveu um Jogo das Vocações para auxiliar os estudantes. Não é um teste que indica qual profissão seguir, a proposta é que ele ajude o estudante a pensar nas variáveis que envolvem a decisão profissional para que ele tenha mais condições de fazer sua opção.(saiba mais no vídeo abaixo)