Lei matemática explica força de furacões

A força dos furacões segue uma simples lei da matemática, uma descoberta que poderá ajudar a prever como eles reagirão às mudanças climáticas, revelaram cientistas na revista New Scientist .
Álvaro Corral, do Centro de Pesquisas Matemáticas em Barcelona, na Espanha, e sua equipe investigaram registros de furacões de quatro bacias oceânicas (áreas extensas e profundas com relevo relativamente plano) ao redor do mundo entre 1966 e 2007.





Para cada furacão conhecido, eles calcularam quanta energia liberavam, baseados na velocidade dos ventos e em quanto tempo os furacões duravam.
 Independentemente da região, os pesquisadores descobriram que a proporção entre furacões fortes e mais raros e os mais fracos e mais frequentes era sempre a mesma, não importava onde ele ocorresse. Apenas os furacões mais fracos e os mais fortes não se enquadravam no padrão, chamada lei de potência.
A equipe também estudou o efeito da temperatura da superfície do mar sobre os furacões. A proporção entre os furacões fracos e os fortes em cada ano era parecida se o ano era quente ou frio. Mas a maioria dos furacões mais poderosos aconteciam em anos quentes.
Eles também observaram o mesmo efeito em anos afetados pelo fenômeno climático El Niño.
Há anos que existe uma polêmica sobre se as mudanças climáticas vão aumentar a intensidade dos furacões. Corral diz que os resultados sugerem que, à medida que as temperaturas aumentam para níveis nunca experimentados antes, haverá uma maior incidência de furacões mais fortes.
Mas ele explica que ainda é difícil afirmar isso com 100% de certeza.
- Ainda não sabemos o que vai acontecer se as temperaturas ficarem ainda maiores do que as que tivemos.